Foto: divulgação

 

Representantes de destinos turísticos consolidados no estado de Minas Gerais enviam carta ao governador Romeu Zema (Novo) com pedido de socorro diante o cenário crítico causado pelo longo período de fechamento. O objetivo é clamar por apoio, atenção e que o Estado interceda para suavizar os impactos causados pela pandemia.

Diante a Onda Roxa, com medidas que paralisaram o turismo no Estado desde o início de março, os trabalhadores do setor encontram-se em situação crítica no que diz respeito a manutenção do negócio. Há cerca de um mês, pousadas, hotéis, bares e restaurantes não têm tido nenhum tipo de auxílio público, além, é claro, da impossibilidade de receber clientes e visitantes.

Em Tiradentes, cidade localizada na Zona da Mata de Minas Gerais e importante polo turístico do estado, a recepção de turistas não acontece desde a determinação de Zema para a Onda Roxa. Em 2020, conforme apurações da Associação Empresarial de Tiradentes (ASSET), a cidade recebeu 60% de turistas a menos do que em 2019. Atualmente, comerciantes e outros empresários do setor temem o futuro do município – uma vez que a principal fonte de renda está atrelada justamente turismo.

Wellersom Cabral, presidente da ASSET, esclarece que o motivo da reunião com o governador é para pressionar o estado a fim da fundamentação de algum programa que apoie o setor. “O turismo em Minas Gerais vem sofrendo muito com as medidas restritivas da Onda Roxa do Minas Consciente, sabemos que a base do plano é salvar vidas, e não discordamos que isso realmente é o que mais importa. Porém, com todo período que o trade turístico não trabalhou em 2020 e agora com as restrições de 2021, estamos assistindo, com muita preocupação, a caminhada de Meios de Hospedagem, Restaurantes, Lojas, agências, guias, Instancias de Governança entre outros à situações financeiras extremamente delicadas. Mais uma vez reforçamos que sabemos que o valor da vida é bem maior do que qualquer bem ou dinheiro, mas não há como não se preocupar com o desemprego que já é realidade em vários destinos”.

É válido lembrar que vários destinos no Estado foram parabenizados e reconhecidos por boas praticas de retomada em 2020, por atuarem com medidas restritivas em todo trade e podem ser exemplo para um início de funcionamento das empresas que vivem do setor, pois mostraram que mesmo com o turismo em atividade, os casos de COVID-19 diminuíram, como ocorrido entre agosto e novembro do ano passado.

“Aqui estamos respeitosamente para apresentar uma demanda importantíssima de todo nosso trade, ao mesmo tempo nos solidarizando com todas as famílias que perderam entes queridos. Não queremos retomar como se não houvesse pandemia, mas também não queremos parar com se não houvesse saída. Por isso solicitamos um olhar diferente para o setor turístico mineiro, com muita responsabilidade, limites e cuidados.”, clama Wellersom.